Padrões Espaciais e Biodiversidade

Estudos ecológicos estão diretamente relacionados com suas componentes espaciais e escalares. Neste contexto, o entendimento de como os padrões espaciais e hierárquicos dos elementos da paisagem (clima, relevo, geologia, uso e cobertura da terra, etc) afetam diretamente e indiretamente a estrutura de comunidades biológicas é imprescindível, pois estas são excelentes indicadores de qualidade ambiental.

 

Contudo, como estas interações sofrem influências em múltiplas escalas espaciais, como por exemplo, biomas, ecorregiões, bacias hidrográficas, zonas ripárias, trechos e micro-habitats, deve-se considerar que os efeitos de covariância podem dificultar o entendimento das interações entre estas escalas e as assembleias aquáticas. 

Neste sentido, esta linha de pesquisa busca analisar as relações entre paisagem e biodiversidade em multiplas escalas espaciais, explorando estas relações através de modelos estatísticos e analises espaciais através de sistemas informativos geográficos, combinando a abordagem espacial da geografia com a abordagem funcional da ecologia.